Coluna do Zé

José Moreira da Silva (Presidente da Academia Literária Gaúcha)

Fone (051) 3269.2368.  Advogado/Escritor  - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

wwww.josemoreiradasilva.com

JNB 309 - 05 de março de 2015

POESIA CRIOULA/GAÚCHO
 
E enquanto houver picanhas e costelas
assando no espeto estarei vida,
que a vida não é ser  material,
é ser quentura de fogo, é ser guarida.
 
E enquanto houver campo, fogo e carne,
cavalo bom, arreios encerados,
estarei por ali nalgum  potreiro,
tangendo o gado xucro nas canhadas.
 
Na mangueira a cuidar o gado bravo,
curar cascos, chifres e bicheiras,
que o boi é boi, mas também as dores sofre
 e o assédio febril das varejeiras.
 
E quando não houver campo e mangueira,
cusco dormindo nas cinzas do borralho,
prendas faceiras cevando o mate amargo
e um trago de canha for proibido,
encilho o pingo,venço o campo, pego estrada
e vou chorar bem longe a despedida.
 
Quando a hora se esconder no horizonte,
minha sombra for passado nas distâncias
e o corpo aderir à terra inteira,
na planura da pampa, nas estâncias,
Serei tição de fogo no braseiro.
 
Página 104 do livro Cenas de um amor azul/2014
 
 *Advogado, Presidente da Academia 
Literária Gaúcha 
Fone (051) 3269.2368
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  
wwwwjosemoreiradasilva.com
 

JNB 306 - 22 de janeiro de 2015

PERSISTÊNCIA
 
 
Morrer todos os dias,
como plantas sem água;
subir todos os dias
escarpadas montanhas;
sonhar todos os dias
escadas sem degraus,
sem cair, todos os dias,
na real.
 
Subir, subir, subir...
abrir os tenros braços:
ícaro, no espaço,
coberto de azul;
cair e levantar-se
uma vez mais
sem asas pra voar.
 
A tudo reagir,
como se fora o vento,
nas grandes tempestades,
ao fim, do pódio,
erguer brilhante a taça
e renascer das cinzas,
na transfiguração.
 
 
Página 95 do livro Flor de Outono/2013
 
 *Presidente da Academia Literária Gaúcha 
Fone (051) 3269.2368
Advogado/Escritor  - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 
wwwwjosemoreiradasilva.com
 

JNB 21 de agosto de 2014

           À PRENDA AMADA 
Nessas manhãs chuvosas de verão,
brinda o sol de esconder-se no horizonte,
somente a luz divina e fulgurante
dos teus olhos é fonte de emoção.
 
 A chaleira chiando no fogão,
nos diz que vai chegar o belo instante
de preparo do amargo chimarrão,
antes que o sol, longe se levante.
 
O que tem demais na pampa larga,
além do rancho e da mulher amada?
Somente o pastiçal, o gado, o plano,
 
a beleza do sol nascendo ao longe,
a luz do teu olhar é  voz de um  monge,
Exclui da vida todo desengano.
 
Presidente da Academia Literária Gaúcha 
Fone (051) 3269.2368
* Advogado/Escritor  - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 
wwwwjosemoreiradasilva.com
 
Você está aqui: Principal Colunas Coluna do Zé