Gincana agita Dia do Município

No dia 11 de abril Nova Bréscia completou 49 anos de emancipação e, para comemorar esta data, a Administração Municipal realizou a 5ª Gincana da Integração. O evento reuniu crianças, jovens e idosos do município para uma tarde diferente.
A gincana realizada no Ginásio Municipal de esportes contou com a participação de centenas de pessoas que foram divididas em 4 equipes.  Iniciando as atividades aconteceu a II pernada esportiva, quando 15 trios disputaram quem seria o mais rápido. 
Veja os vencedores de cada categoria: autoridades: Vereador César Spessatto; crianças masculino: Enzo Zambiasi; crianças feminino: Vittoria da Silva; universitárias: Andressa De Maman; soberanas: Sabrine Scartezini; professores: Elisete Simonetti; gaúchos mirins: Lucas Mezacasa; jovens: Estevão Giovanaz; atletas: Diego Martini; churrasqueiros: João Biasibetti; enfermagem: Érica Turatti; cadeirantes: Rodrigo Radaelli; terceira idade Feminino: Irma Cristófoli; terceira idade masculino: Guilherme Delazeri; terceira idade masculino: Milton Delazeri.
A partir daí, as tarefas começaram a serem reveladas pela comissão organizadora. Na parte da tarde as equipes precisaram participar de competições de rapidez, habilidade, concentração entre outras.
No final de todas as atividades foi revelado a equipe vencedora da Gincana, que foi a equipe AZUL com 186 pontos, em 2º lugar a equipe ROXA com 185 pontos, 3º Lugar equipe AMARELA com 166 pontos e em 4º Lugar Equipe VERMELHA com 154 pontos. 
Encerrando a programação aconteceu o baile com a Banda Barbarella.
 
 
 
 
 
 
 

Tiago é bicampeão de xadrez

Na chuvosa tarde de 19 de abril, sábado de Páscoa, aconteceu o 2º Torneio Nova Bréscia no Xadrez. A competição estava para ser disputada nas mesas de xadrez da Praça da Matriz, mas devido à chuva, as partidas foram realizadas no galpão montado para o Encontro de Churrasqueiros na Praça da Matriz.
O torneio teve como objetivo apontar o campeão municipal de xadrez de 2014. Com a presença dos árbitros Marcelo Kunrath e Márcio Winter, os enxadristas duelaram durante toda a tarde. Na competição, Tiago Segabinazzi manteve o título de campeão municipal de xadrez, conquistando seu bicampeonato, já que havia vencido a primeira edição do evento no ano passado. Ele conquistou cinco vitórias em cinco partidas. 
Para Marcelo, que é árbitro internacional, o nível dos competidores foi muito bom, mostrando a força dos brescienses também no xadrez. 
O Departamento Esportivo da Administração Municipal, promotor do evento, agradece à Direção da Escola Donato Caumo pelo empréstimo dos tabuleiros e peças; ao Banrisul pela parceria no evento e pela bela premiação; ao jornal Nova Bréscia pela cobertura do evento; à divulgação da Rádio Bréscia FM; à secretaria de educação pelo som e infraestrutura; aos senhores Luis Scheid, presidente da LBFA, ao professor Carlos Casaril, à Márcia Garibotti Lorenzon pela presença no evento; Márcio Giovanella e Graziela Senter pela organização prévia do torneio; a todos os enxadristas que participaram.
“O xadrez é um lago onde um mosquito pode nadar e um elefante se afogar” (provérbio hindu).
 

O que Nova Bréscia tem de melhor? Os brescienses!

Pensando desta forma, o Jornal Nova Bréscia visitou brescienses de todo o município para um bate papo sobre nosso município, sobre como é viver nesta cidade que está próxima ao seu cinquentenário.
Veja nas entrevistas a seguir, o que os brescienses pensam sobre sua terra.
 
 
 

Família Devitte, acreditando no futuro

Na distante Nossa Senhora do Rosário, mora a família de Gerci Devitte, 67 anos. O viúvo vive com o filho Everaldo, 43 anos, a nora Marinalva, 32 anos, e os netinhos, Éric, 9 anos, e Elen, 3 anos.
 
Antes da chegada dos aviários, a atividade desenvolvida na propriedade era o planio de fumo, cultura praticada por 12 anos. Já em 1981, a família começou a trabalhar na avicultura, com a extinta empresa Minuano. Por um tempo, também tiveram gado leiteiro, mas deixaram a atividade depois que o primeiro filho de Everaldo e Marinalva nasceu. Atualmente dedicam-se somente à avicultura.
Em novembro de 2013, a propriedade dos Devitte foi atingida pelo temporal de granizo que aconteceu em Nova Bréscia e municípios vizinhos. A família conta que foram momentos de muito medo, pois as pedras quebraram as telhas da casa e a chuva invadiu a residência da família. Tiveram que ficar fora de casa por dois dias para recuperar o telhado e secar os móveis. Nesta hora, os Devitte pensaram em abandonar o interior e ir morar na cidade. 
- A decepção foi grande, ficamos sem rumo. Mas o pior já passou. Temos saúde e estamos nos reerguendo - conta Everaldo.
Os estragos na propriedade ainda estão sendo reparados. Aos poucos a família está reconstruindo o que foi perdido, usando recursos próprios. A família diz que não sabe se vai receber algum tipo de indenização ou incentivo para recuperar suas perdas. Afirma que os agricultores querem permanecer no interior, mas precisam de incentivo para isso.
Mesmo nos finais de semana, a família gosta de ficar em casa, na comunidade. Vão à Igreja, onde Everaldo é leigo, passam pelo salão comunitário, as crianças brincam na propriedade, as famílias se visitam. Quando há programações no município, sempre prestigiam.
A família considera Nova Bréscia um município tranquilo, bom de morar. O pequeno Éric mudou de escola este ano e está gostando. Ele passou a frequentar a Escola Estadual Nova Bréscia, depois que a Escola Linha Tigrinho foi fechada.
- Tem mais crianças para brincar – conta o alegre Éric.
No ano que vem, a pequena Elen também virá para a escola. Ela vai frequentar a Escola Municipal Criança Feliz e compartilhar da alegria do irmão de conhecer e brincar com novos amiguinhos.
 
 

Nichel + Manica = casal eclético

O jovem casal Rogério Nichel, 33 anos, e Denise Manica, 28 anos, são ecléticos. Selecionam e escolhem o que consideram mais adequado para suas vidas. O casal tem como atividade principal avicultura, mas não se limitam a isso. Eles moram no interior, mas não deixam de aproveitar as oportunidades da cidade. Denise trabalhou por algum tempo como balconista de loja em Nova Bréscia. Atualmente, está somente na propriedade da família, em Linha Ernesto Alves. Agora, é a vez de Rogério ter novas experiências como capataz da Secretaria de Obras de Nova Bréscia.
Desta forma os dois constituindo um novo tipo de família. A que vive no campo, mas que aproveita as oportunidades da cidade. Eles afirmam que gostam desta vida, vivendo num lugar tranquilo, onde conhecem todo mundo e todos são amigos.
Apesar disso, acreditam que os jovens precisam de incentivo para permanecerem no município, seja no meio rural ou na cidade. Afirmam que quem já trabalha na avicultura, por exemplo, quer permanecer na atividade, pois já está estabelecido e tem experiência no ramo. Os investimentos são essenciais para que os rendimentos sejam adequados e possibilitem que as famílias permaneçam nas suas origens.
A família Nichel passou por uma provação em novembro de 2013 após o temporal de granizo, quando os aviários da propriedade foram danificados pelas pedras de gelo.
- Gastamos bastante nas reformas, mas o mais sacrificante foi o trabalho que deu para remover os pintinhos, limpar e reorganizar os aviários – lembram Rogério e Denise.
Hoje a família diz que está recuperada, o trauma do temporal já foi superado. Para se divertir e descansar, o casal procura os amigos. Rogério é um famoso goleiro do município e joga futebol todos os sábados. Atualmente, está participando do Campeonato Municipal. Já Denise prefere tomar um chima com as amigas e participar das programações do município.
Questionados sobre porque investiram no interior, o casal afirma que, como em qualquer negócio, é preciso acreditar e investir sempre, procurando aperfeiçoar-se para que os resultados sejam os melhores possíveis.
 

 

Na aposentadoria, aproveitando a vida

Uma bela casa com uma linda vista, a tranquilidade da natureza como vizinha, o sossego da aposentadoria. É neste paraíso que vive o casal Arlindo, 74 anos, e Deonila Caliari, 70 anos. Depois de uma vida de muito trabalho para manter a casa e criar os cinco filhos. Hoje eles desfrutam de dias de paz em Linha Estefânia.
Durante suas vidas, Arlindo e Deonila sempre moraram em Linha Estefânia e, depois de aposentados, construíram uma casa nova, ampla e confortável para receber os filhos, netos e familiares, que são a alegria do casal.
- Gostamos de casa cheia, de reunir toda a família para um churrasquinho – afirmam Arlindo e Deonila, que não quiseram sair de sua comunidade natal.
- Nascemos aqui, gostamos da comunidade e além disso, é pertinho do centro – concordam.
Durante muitos anos, eles trabalharam na avicultura, começando ainda com a extinta Minuano. Deonila também foi professora e  nos anos 2005 a 2006, Secretária de Educação. Além disso, Deonila é chegada a um pleito. Já disputou, por duas vezes, as eleições municipais, concorrendo a uma vaga como vereadora. Atualmente, os dois têm uma rotina mais tranquila, vindo para a cidade fazer “rancho”, uma fezinha no jogo, conversar com os amigos. Também gostam de participar do Grupo de Idosos da comunidade para conversar e se divertir.
Sobre Nova Bréscia, Arlindo e Deonila concordam que é uma cidade boa de se viver, sem a insegurança da cidade grande. Apesar de não ser o caso dos dois, pensam que os jovens precisariam de mais incentivo para permanecerem em Nova Bréscia.
- Os jovens precisam ficar em Nova Bréscia, pois são o futuro do município, nossos futuros governantes – finaliza o exemplar casal.
 
 

Famílias Mezacasa e Cristofoli, empresários rurais

- Aqui temos tranquilidade, nem se compara à cidade grande – afirma o casal Luciane, 43 anos, e Moacir Cristofoli, 49 anos, que morou até o ano de 2000 fora de Nova Bréscia. Há 14 anos, eles voltaram, quando, junto com os pais de Luciane, Domingos, 74 anos, e Lídia Mezacasa, 75anos, construíram uma propriedade modelo. 
A família trabalha com suinocultura e principalmente gado leiteiro, atividade em que está se especializando. A propriedade possui todos os equipamentos necessários para trabalhar adequadamente com o leite e, agora, deverá integrar o projeto “Condomínio do Leite”, criado pela Cooperativa dos Suinocultores de Encantado em parceria com a Administração Municipal de Nova Bréscia.
A vontade de investir no meio rural veio da vontade de ter o próprio negócio, aliada à vontade de ter uma vida mais tranquila e sem a insegurança da cidade grande.
- Hoje a agricultura é uma profissão rentável. Não somos mais colonos e sim empresários rurais – diz Moacir.
Com a ajuda de projetos dos governos, a família afirma que vale a pena investir no interior, especialmente para quem não tem um diploma universitário. Não que o conhecimento não seja necessário, já que os produtores rurais participam de capacitações constantemente, mas vão aliando os estudos às necessidades que suas atividades do dia a dia exigirem.
Além do trabalho, a família se diverte com o pequeno Eduardo, 2 anos e 10 meses, a alegria da família. O pequeno anda solto pela propriedade, já cultivando o gosto pela atividade rural ao lado dos pais, Luciane e Moacir. Único neto de Domingos e Lídia, Eduardo é reflexo de que a vida no interior se renova a cada dia.
 

A união de Nichel, Schena e Bianchini numa única família

Pais, filha e genro uniram-se em prol de um objetivo: fazer da propriedade rural um negócio rentável. Foi assim que Arlindo, 71 anos, e Cesira Schena Nichel, 68 anos, a filha Vânia e o gênro Tiago Bianchini, ambos com 34 anos, decidiram investir na propriedade da família.  Hoje, sentem-se  realizados por terem um negócio próprio, que gera bem-estar para a família.
Tiago e Vânia, no início de sua juventude, saíram de Nova Bréscia para trabalhar no ramo de churrascarias. Trabalharam em Caxias do Sul, Santa Maria e até mesmo no Rio de Janeiro. Mas a vontade de ficar mais perto da família e de ter um negócio próprio, em que eles pudessem determinar o que gostariam de fazer, fez com que o jovem casal voltasse para Linha Tigrinho Baixo.
Na propriedade dos pais de Vânia, o casal sentiu-se à vontade para investir e, apoiados por Arlindo e Cesira, vislumbrar um futuro melhor para todos. Hoje, os quatro trabalham na avicultura e, há seis anos, com gado leiteiro. Eles perceberam que a atividade rural pode ser mais rentável do que muitas profissões na cidade grande.
Além do lado econômico, morar em Nova Bréscia agrada a muita gente pela tranquilidade que transmite, por poder conviver mais ativamente com familiares e amigos, por ter mais atenção na educação e na saúde. A família acredita que sempre há o que melhorar, como em incentivos para a agricultura e opções de lazer. 
Nas horas de folga, a família gosta de descansar, passear e participar das programações realizadas no município. Para o futuro, esperam poder continuar vivendo com qualidade e bem-estar, acreditando que os brescienses sempre vão se superar e alcançar seus objetivos.
 

O amor como incentivo

Ela, nasceu e cresceu no interior de Nova Bréscia, em Linha Divertida. Ele, natural de Encantado, trabalhou por muitos anos em empresa de energia elétrica. O amor os uniu e o casal escolheu Nova Bréscia para formar sua família.
Hoje, o casal Andrea Valer, 42 anos, e Renato Carlos Capitanio, 45 anos, mora em Linha Divertida com a filha Laura, 8 anos. O casal assumiu a propriedade dos pais de Andréia, que optaram em se mudar para o centro de Nova Bréscia.
Há 14 anos, eles trabalham na avicultura e, há quatro, com gado leiteiro. Eles viram no meio rural uma oportunidade de formar um negócio e aproveitar a estrutura que a propriedade já tinha. Eles dizem que tinham duas escolhas: ou ir embora, ou investir na propriedade. Optaram por ficar e hoje colhem os frutos desta decisão.
Apesar do trabalho ser constante, a família também consegue descansar e passear nos finais de semana. Diz que gosta muito de participar das programações promovidas no município, de passear na Praça e de visitar os familiares e amigos.
Sobre Nova Bréscia, a família cita a saúde e educação como pontos altos, além da tranquilidade de viver num local calmo e em meio à natureza. Para ser ainda melhor, o município deveria, na opinião do casal, investir mais na agricultura.
- Uma conversa com os agricultores seria bom para que pudéssemos expor nossas necessidades – pedem Andréia e Renato. Em sua propriedade, especialmente, o casal cita a telefonia como ponto a ser melhorado.
A família também foi uma das atingidas pelo temporal de granizo do ano passado. Lembram que foi assustador e, num primeiro momento, cogitaram ir embora. Mas, depois de refletir, decidiram ficar.
- Erguemos a cabeça e reconstruímos tudo. Hoje está quase tudo como era antes – revela uma feliz família bresciense.
 
 

Família Cristofoli, apostando no seu potencial

 
Seguindo a tradição de Nova Bréscia, ser o maior produtor de frangos do Estado, a família Cristofoli investe pesado na atividade e está transformando sua propriedade, em Linha Pinheiros, numa grande empresa.
O casal Vilmar, 53 anos, e Marli, 48 anos, e os filhos Gabriel, 25 anos, e Guilherme, 20 anos, comandam uma granja com quatro aviários, três  Dark House, método inovador na criação de frangos, e um climatizado. Através do sistema Dark House, todo o processo de criação das aves é automatizado, desde a alimentação, a climatização, a pesagem e a ambientação do aviário.
A qualidade de vida proporcionada pelas novidades que as novas tecnologias estão proporcionando aos avicultores, já está sendo vivenciadas pela família Cristofoli. Como grande parte do trabalho nos aviários é automatizado, ainda sobra tempo para a família investir na suinocultura e no reflorestamento. Além disso, Vilmar é professor, atualmente lecionando em Coqueiro Baixo.
Eles também não deixam de gastar este tempo livre em atividades de lazer. Os três homens da casa compartilham de uma paixão em comum: o futebol. Sempre que têm uma folguinha, vão bater uma bola com os amigos. Marli acompanha, sempre na torcida, mas também gosta de visitar a família e amigos.
A tranquilidade e o bem estar proporcionados pelo município são os pontos altos de Nova Bréscia, segundo a família. Para ficar ainda melhor, dizem que precisa ser melhorada a telefonia e o acesso ao interior, o que contribuiria para um desenvolvimento mais acelerado do município.
 

 

Raízes em comum originam família bresciense no Mato Grosso

Quando Nova Bréscia está no sangue, o apego pelo município fala mais alto. A família Laste é uma prova disto. Félix, 52 anos, e Miriam Laste, 43 anos, e os filhos Natálhia, 22 anos, e Felipe, 18 anos, atualmente moram em Nova Bréscia, mas sua história com o município vai muito além do local de moradia.
Félix nasceu em Nova Bréscia, mas aos 17 anos foi embora. Primeiro, trabalhou em Bajé, por um ano, no ramo de restaurantes. Depois, foi para Guarantã do Norte, no Mato Grosso, onde trabalhou como caminhoneiro. Já Miria é filha de brescienses, mas já nasceu fora do município. É natural de Campinas do Sul, mudando-se, mais tarde, também para Guarantã do Norte. Lá, no Mato Grosso, Félix e Miriam se reencontraram, pois já se conheciam (são primos!) e casaram-se. Foi lá que nasceu a primeira filha, Natálhia. Já Felipe é bresciense. Ele nasceu na época em que a família voltou para Nova Bréscia, permanecendo no município por sete anos. Mas a aventureira família não sossegou. Voltou para Guarantã do Norte, onde morou por mais sete anos. 
No ano de 2002, quando tinha seis anos, Felipe adoeceu. Foi um período difícil para a família, que buscou tratamento para a Anemia Aplástica severa, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Neste momento, os laços com Nova Bréscia ficaram ainda mais fortes, pois toda a população se mobilizou para ajudar. A família conta que recebeu doações da Liga Feminina de Combate ao Câncer e da Administração da época, que levava doadores de sangue até o hospital em que Felipe ficou internado, em Santa Maria. A cura veio pelo transplante de medula óssea, doada pela irmã, Natálhia.
Já em 2007, nova mudança. A terra natal chamou novamente e a família retornou para Nova Bréscia. Hoje, todos vivem e trabalham no município. Félix é gerente operacional da empresa Petraliptum Terraplenagens, estabelecida em Linha Borgueto. Miriam é auxiliar de produção em outra empresa, a Art Design Estofados. Natália, que chegou a morar por algum tempo em Lajeado, também voltou e hoje trabalha no Cartório de Registros de Nova Bréscia. Felipe concluiu o Ensino Médio no ano passado e hoje é aprendiz de operador na Petraliptum.
 

Novo campeão municipal de Xadrez será definido no 2º Nova Bréscia no Xadrez

Acontece, no próximo dia 19 de abril, o 2º Torneio Nova Bréscia no Xadrez. Para arbitrar o torneio, foi convidado o árbitro internacional Marcelo Konrath, árbitro pela Federação Internacional de Xadrez e editor do Portal Xadrez Gaúcho.
Neste dia, será conhecido o Campeão Municipal de Xadrez 2014. O atual campeão Tiago Segabinazzi será desafiado por 35 enxadristas que querem levar o título desta edição. 
O torneio vai acontecer na Praça da Matriz, a partir das 13horas (em caso de chuva o torneio se realizará no hall da Prefeitura Municipal). A participação será através de convite, com confirmação antecipada. A organização é do Departamento de Esportes e Prefeitura Municipal de Nova Bréscia com apoio do Banrisul.
 
Mesas repostas
 
Foram repostas as mesas de xadrez na praça. O Departamento Esportivo pede a todos que gostam do jogo que façam uso e ajudem a preservá-las. As peças estarão sempre sobre as mesas e, na sua falta, na casinha da praça. Segundo o Departamento, desde a sua inauguração, há um ano, não houve nenhuma peça furtada ou estragada, o que mostra o nível de cultura do bresciense.
Você está aqui: Principal Notícias Destaques