10 ruas terão trechos calçados

Devem começar até o início de setembro, as obras de calçamento de 10 trechos de ruas no centro da cidade. Serão 9.522,69m² de calçamentos executados pela empresa Irmãos Dadalt Ltda, vencedora da licitação da obra. O valor orçado é de R$ 804.763,97.
No dia 18 de agosto, os proprietários dos terrenos localizados nas ruas a serem calçadas, participaram de uma reunião no Centro Administrativo, quando a Engenheira Civil da Prefeitura, Ana Tronco, explicou como serão as obras, valores a serem investidos pela prefeitura e pelos proprietários dos terrenos, bem como as condições de pagamento.
Segundo a Lei Municipal nº 1535/206, as obras de calçamento devem ser pagas 50% pela Prefeitura Municipal e 50% pelos proprietários do terreno. O valor pago nas obras a serem realizadas será de R$ 84,51m². Os valores serão calculados de acordo com a largura da rua e a metragem do terreno. Conforme Léo Fontana, da empresa Fontana Topografia e Construções, que está auxiliando na elaboração do projeto, no levantamento topográfico, na medição e demarcação das ruas, os trechos a serem calçados tem de nove a sete metros de largura. A largura de cada rua foi estipulada de acordo com a realizada de cada trecho, sendo que algumas terão calçada de um metro, enquanto outras de até 2,5m.
Na reunião, os proprietários esclareceram dúvidas e foram informados de que o pagamento do calçamento pode ser feito à vista com 10%  de desconto ou em até 36 vezes, corrigido pelo URM. Todos os proprietários serão informados, logo após o termino de cada rua, os valores a serem pagos.
As primeiras ruas a serem calçadas serão a Ângelo Viecelin e a João Giovanella. Devem ficar para o final as ruas abertas recentemente, como a Fidélis Dall’Óglio, que precisa esperar o alicerce ficar firme, bem como os aterros da nova ponte que está sendo feita na rua. A expectativa é de que todas as ruas estejam prontas até janeiro de 2016.
Os trechos a serem calçados serão: Rua Ângelo Viecelin – trecho entre a Av. Bento Gonçalves e a Rua João Giovanaz; Rua Artemio Felini – trecho entre a Rua Barão do Cotegipe e Rua Jorge Felini; Rua Eduardo Laste – trecho da Rua Pedro Delazeri até o final; Rua Fidélis Dall’Óglio – Trechos entre a Av. Bento Gonçalves até a Rua Osório e o trecho entre a Rua Sete de Setembro e a Rua Madre Assunta Marchetti; Rua João Giovanaz – trecho entre a rua Ângelo Viecelin até rua sem denominação; Rua Jorge Luiz Felini – trecho da rua Artemio Felini até o final; Rua Madre Assunta Marchetti – trecho entre a Rua 12 de Outubro e Rua Fidelis Dall’Óglio; Travessa José Delazeri – trecho da Rua Fidelis Dalloglio até o final; e Rua Maldina Zambiasi – trecho da Rua Ari Nelson Klan até o final.
 

Tigrinho é o campeão na Bocha

Aconteceu na sexta-feira (03/07), a final do Campeonato Municipal de Bocha. Disputaram o título as equipes do Clube Tiradentes e de Linha Tigrinho. As partidas aconteceram na cancha do Clube Tiradentes, e reunindo grande número de admiradores do esporte.
No final da noite, após três vitórias dos trios de Linha Tigrinho, somadas às duasvitórias conquistadas nas partidas realizadas na casa da equipe, o resultado final foi Linha Tigrinho 5 X 1 Clube Tiradentes.
A equipe campeã é composta por muitos atletas jovens, que apreciam o esporte tradicional da cultura italiana e preservam, assim, a história dos seus antepassados. Parabéns aos atletas e à comunidade.
A festa de encerramento e entrega da premiação acontece dia 10/07, em Linha Tigrinho.
 
Na foto - Equipe campeã: de pé - Alceu, Cilone, Rudi, Moacir, Dorneles, Jandir e Milton; 
agachados - Michel, Elizandro,Gilson, Welisom, Paulinho, Joel e Robison.
 

História resgatada

Uma importante personagem da história de Nova Bréscia está sendo resgatada pela família Berti. A antiga casa da família, localizada no trevo entre os Tigrinhos Alto e Baixo, está sendo restaurada.
A casa, construída há mais de 60 anos por Izidoro Berti, era um ponto de referência nas décadas passadas, quando funcionava como casa de vendas, bodega e até mesmo salão de baile. A filha mais velha de Izidoro e Irma Berti, Lourdes, sempre teve o sonho de trazer a casa de volta para a família, desejo realizado recentemente ao lado do marido Alcides. Seus irmãos apoiaram a decisão e estão contribuindo com a restauração do grande casarão.
No local do atual casarão, existia uma casa menor, que foi comprada por Izidoro e Irma. Nela, além do casal, moraram os pais de Izidoro, José e Maria. Mais tarde, a família construiu a atual casa, maior, com espaço para moradia e para casa de comércio. Nela moravam também o irmão de Izidoro, Benjamin Berti, sua esposa Geni e os filhos Luís Carlos e Neusa. Ermindo Berti, também irmão de Izidoro, morou no casarão até se casar. A casa também foi o lar de todos os sete filhos de Izidoro e Irma: Lourdes, Paulo, Marli, Nestor, Vilmar, Osmar e Tânia.
Além de ser o lar desta grande e unida família, a casa era um forte comércio da época, atendendo aos moradores dos Tigrinhos e das comunidades próximas. Tudo era vendido a granel. Lourdes lembra dos grandes sacos com açúcar, sal, erva. Tudo era embalado em trouxas de papel.  Também vendia fumo e bebidas. O local era ponto de encontro dos homens das comunidades próximas, que vinham todos os finais de tarde e nos fins de semana jogar cartas. 
Os bailes promovidos pela família Berti no casarão eram famosos na época. Realizavam dois a três bailes por ano, sempre com um grande público. Os bailes de carnaval eram os mais concorridos, com pessoas de todo o município participando. O salão de baile foi construído anexo à casa, que no resto do ano era usado como depósito. Lourdes lembra que a festa começava no entardecer e ia até de manhã. “Até os Corsários tocaram lá”, recorda Lourdes.
A casa era também uma referência para o Padre da época. Era lá que ele ficava quando ia rezar missa em um dos Tigrinhos num dia, e no outro Tigrinho no dia seguinte. A religiosidade fazia parte da família, que, nos Natais, construía um grande Presépio na sala de visitas. Lourdes lembra que a sala ficava toda decorada com laguinhos, estradinhas feitas com musgos e pedras, tudo colhido na mata para enfeitar o presépio. Nas noites de Natal, os moradores da comunidade vinham na missa na Igreja Matriz no caminhão de Izidoro, mas antes passavam no casarão para ver o presépio da família.
Por volta de 1975, a família mudou-se para o centro da cidade, onde estabeleceu seu comércio. A casa foi vendida para Tchesco Zonatto. Este, por sua vez, vendeu para Décio Valer que, posteriormente, vendeu para Arcângelo Schena. Recentemente, Lourdes e seu marido Alcides Valer compraram a propriedade, devolvendo à família Berti parte de sua história.
Agora, a família pretende restaurar a casa, mantendo suas características originais. Quer usá-la como um ponto de encontro da família. E a primeira festa já está marcada: o fim de ano será nela. 
 

Canarinho conquista o Pentacampeonato

No domingo (05/07), o município conheceu o Campeão Municipal 2015. Após quatro meses de competição, chegou ao final o Campeonato Municipal de Futebol Amador – Copa Sicredi, que teve como finalistas as equipes do Canarinho de Linha Pinheiros e o Cristal de Linha Estefânia.
A primeira partida da final aconteceu no dai 28 de junho, em Linha Estefânia, quando o Canarinho saiu na frente, vencendo por 2X1. Em Linha Pinheiros, onde aconteceu a grande final deste ano, o resultado foi novamente positivo para o Canarinho.
Depois de um primeiro tempo encerrado em 0 X 0, com duas bolas salvas pela zaga do Cristal, o Canarinho conseguiu driblar a defesa e marcar o primeiro gol da partida, logo no início do segundo tempo. Dimitri chutou de longe, no cantinho esquerdo do gol, não dando chance de defesa para o goleiro do Cristal, Mateus. O segundo gol nasceu da garra do atacante Guilherme, que não desistiu do lance, dividiu com o goleiro, levou a melhor, e marcou o Canarinho. Já no final do jogo, Dimitri marcou novamente, consagrando-se o goleador da competição com 15 gols marcados.
O Cristal lutou até o final, inclusive tendo também uma bola salva pela zaga do Canarinho, mas não conseguiu reagir, terminando  a competição com o vice-campeonato.
No final da partida, a equipe do Canarinho festejou seu quinto título municipal, segundo consecutivo,  ao lado da grande e apaixonada torcida.  O clube havia sido campeão em 1978, 1996,  2001 e 2014.
 
Resultado final
Campeão - Canarinho
Vice-campeão - Cristal
3º lugar - Botafogo de Jacarezinho
Disciplina - Cristal
Goleador - Dimitri Diehl/Canarinho, 15 gols 
Goleiro menos vazado - Andre Sangali/Botafogo de Jacarezinho, sete gols.
 
 
 
 
 
Você está aqui: Principal Notícias Destaques