Próteses dentárias: importância no restabelecimento da função e da estética

Giovana Vendramin
Cirurgiã Dentista 
Clínica Geral
CRO-RS 14.114
Atualmente, o termo saúde é caracterizado de forma ampla pelo bem-estar físico, mental e social. Os dentes estão inseridos dentro deste contexto, pois promovem ao indivíduo a liberdade para sorrir e a eficiência para alimentar-se bem e de forma saudável. 
A odontologia contemporânea visa uma avaliação do indivíduo como um todo e não mais a cavidade bucal como uma entidade separada. Ela busca uma correlação com a saúde geral e a qualidade de vida.
Apesar dos avanços nas políticas públicas para prevenção em saúde bucal, o número de pacientes desdentados parciais ainda é grande. O envelhecimento da população brasileira vem acompanhado de um alto índice de edentulismo (pessoas sem nenhum ou alguns dentes), o que faz necessário o uso de próteses dentárias para o restabelecimento das funções fisiológicas, fonéticas e estéticas do indivíduo. O edentulismo total ou parcial acarreta um déficit funcional (mastigatório) que interfere na condição sistêmica do paciente.
As próteses dentárias adquirem importância a partir do instante em que necessitamos repor as perdas dentárias causadas por cáries, fraturas ou mesmo agenesia (falta do dente na boca pela não formação ou não erupção do elemento dentário). Elas visam restaurar a função, a estética, o conforto e a saúde dos pacientes, visto que as sequelas das perdas dentárias podem ser profundas, principalmente sob o ponto de vista emocional, uma vez que as pessoas podem ficar fora do convívio social durante o período em que as funções, o sorriso e a estética estiverem comprometidos.
Temos diversos tipos de próteses dentárias e de materiais que podem ser utilizados para confeccioná-las. A confecção de cada uma deve ser personalizada, necessitando atender as necessidades de cada paciente e depende de diversos requisitos orgânicos e econômicos. A utilização da prótese sobre implante depende da quantidade e da qualidade óssea da área que necessita ser reabilitada, já a da prótese fixa (prótese sobre dente) irá depender do comprimento e da espessura do remanescente radicular. Nas próteses móveis temos as próteses totais ou dentaduras e as próteses parciais removíveis, mais conhecidas como pontes. A utilização delas dependerá da presença ou não dos dentes, bem como do tamanho e qualidade do rebordo no qual a prótese ficará suportada. Aliado a isto temos os inúmeros tipos de materiais que podem ser utilizados na confecção das mesmas. A escolha do material a ser utilizado irá ser avaliado basicamente pelos mesmos critérios descritos acima e que definirão qual será o melhor tratamento reabilitador com o melhor material restaurador. O melhor material restaurador deverá ser o mais compatível com o dente natural, ou o que melhor atenda às necessidades do caso e econômicas do paciente.
O principal desafio dos cirurgiões-dentistas continua sendo o de resolver o grave problema da quantidade de desdentados no país. Temos ótimos tratamentos a oferecer com materiais de ótima qualidade para suprir e repor os dentes perdidos, mas ainda não conseguimos diminuir os índices de perdas dentárias, principalmente na infância.  
 

Compartilhe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google BookmarksCompartilhar no TwitterCompartilhar no LinkedIn
Você está aqui: Principal Notícias Vida Saudável Próteses dentárias: importância no restabelecimento da função e da estética